18 março 2013

farol


Farol
Estará a pacífica luz do teu olhar
à minha espera nesta viagem?
Neste regresso outonal,
por entre ramos sinuosos
de negro decorados
estarão os teus braços a aguardar
o meu barco mutilado?

Saberei eu a âncora largar,
terei eu a necessária coragem?
Nesta revolta quase invernal,
por entre rumos ardilosos
de falsos brilhos adornados
encontrarei a tua luz neste mar
para me descobrir a salvo?

Estará teu espírito preparado
para assistir ao naufrágio
desta imprudente embarcação?
Será a visão do teu sereno aviso de perigo
neste insensato retorno,
a minha derradeira recordação?
Carmen Zita Ferreira

3 comentários:

Raquelsav disse...

Neste dia mundial da poesia partilho uma do Pedro Mexia....

Percepção
Entre mergulhos
uma pedra rasa salta três vezes
na água.
E assim se divide,
assim se parte
o rio. A infância
dum lado. Do outro
a terra firme
onde isto se passou.

Beijinhos
Raquel

©carmen zita disse...

Raquel, quando comecei a ler pensava que era teu (saltei a introdução, está visto). Muito bom! Obrigada pela partilha.

Raquelsav disse...

Lá ia celebrar o dia da poesia com um poema meu?? Isso seria uma ousadia :) De qualquer forma, quando li o fantástico poema que partilhaste ocorreu-me este do Pedro Mexia e daí trazê-lo para aqui ;)