12 dezembro 2010

oxalá

A arte já sabemos nasce
da imperfeição das coisas
que trazemos para casa
com o pó da rua
quando a tarde finda
e não temos água quente
para lavar a cabeça.
Tentamos regular
com açudes de orações
o curso da tristeza
mudamos de cadeira
e levamos a noite
a dizer oxalá
como se a palavra
praticasse anestesia.

José Miguel Silva
Ulisses já não mora aqui
& etc.

3 comentários:

©carmen zita disse...

Isto da arte nascer "da imperfeição das coisas
que trazemos para casa" deve ser das melhores afirmações que já li na minha vida.

Raquelsav disse...

Concordo... como poderia a arte nascer de uma coisa já perfeita... se a arte sempre engrandece o que dela nasce??

©carmen zita disse...

Raquel, não conhecia do teu "há vida em mac"!
Já adicionei aos meus "outros astros" ali ao lado e vai fazer parte das minhas visitas habituais :)
Beijo grande e continuação de grande inspiração para ti.