29 janeiro 2009

O telefone e a metafísica

Fotografia de Zdzislaw Waciak


O telefone e a metafísica

Acontece que
vais à caderneta de telefones e ela
que antes (sabias) estava cheia
de números e nomes
repentinamente está vazia.

De A a Z
vazia.

Onde tudo e todos?
Roubaram os ossos do telefone,
que não te pode levar a lugar nenhum.

Perplexo, descobres que existir
é deserto.

Eucanaã Ferraz
in Livro Primeiro. Rio de Janeiro, Edição do autor, 1990.

1 comentário:

su disse...

...cada grão de areia é deserto pela sua diferença...mas se olhar em volta descobre que é muito mais do que isso...
E no meio da multidão pode efectivamente andar-se só...

Gostei da simplicidade e objectividade do poema.
Grande foto!
As melhoras, amiga.
Bjs grandes.